Arquivo

Voltar para a Home
Romance

Simplesmente Amor

O filme já vale pela dancinha que o Hugh Grant faz. Fora isso, é fofo e meloso na medida certa.   São várias histórias de vidas que são modificadas pelo amor. Tem o Hugh como premiê britânico apaixonado por sua funcionária, a mulher que acha que o marido a está traindo, um garotinho que gosta de sua colega de escola…todos os casos, aliados ao clima de Natal quando se passa o filme, fazem emocionar.   O elenco é ótimo. Tem

Guerra

Guerra ao Terror

Seis Oscar: Filme, Direção, Edição, Roteiro Original, Som e Edição de Som. E é meia boca! Guerra ao Terror nada mais é do que uma obra comum, especialmente por seu roteiro, que não chove nem molha. O mote é bacana, poderia virar algo maior. Um grupo de soldados americados é responsável por desmontar bombas durante a Guerra do Iraque. Faltam poucos dias para que saiam do “inferno” – até que o comandante morre e surge o protagonista do filme, um

Suspense

Depois de Partir

Sempre é arriscado dar uma opinião como esta. Cada pessoa tem um gosto, filmes dependem do momento que assistimos, avaliação é sempre algo abstrato… mas, sem receio, pare tudo e vá ver Depois de Partir! Gosto de filmes de espiritismo – tão em moda -, ainda mais quando são suspenses (bons exemplos são O Sexto Sentido, Sinais e Os Outros). Mas Holywood havia perdido a mão. Até agora. Nunca tinha ouvido falar do filme, sua sinopse não me “apeteceu” e

Drama

Querô

Jerônimo é o nome do personagem principal de Querô. Mas poucos o tratam assim. Seu apelido é Querô porque sua mãe, prostituta, de tanto beber, confundiu querosene com cachaça, e morreu. Seu pai é desconhecido. Seu amigos, inexistentes. Ele, um garoto bandido. É dentro de um mundo à beira do porto de Santos que Querô – o filme – é apresentado. Mundo de violência, prostituição, roubos, assassinatos. Baseado em livro de Plínio Marcos, tem como imensa vantagem ser protagonizado por

Animação Drama

Mary e Max – Uma Amizade Diferente

Atenção: quem gosta de animação, precisa ver; quem não gosta, precisa ver também! Na verdade, quem procura um ótimo filme precisa ver. Mary e Max – Uma Amizade Diferente honra o nome: é realmente diferente, uma animação que emociona e marca. Simples, o filme conta como Mary Dinkle, uma menina de 8 anos de idade, e Max Horovitz, já na terceira idade, iniciam e fortalecem uma amizade via cartas. Ela é da Austrália e ele dos Estados Unidos, de Nova

Terror

Atividade Paranormal

Li uma teoria sobre esse filme: seu sucesso é devido a quem não viu A Bruxa de Blair, ou seja, especialmente os adolescentes, que ainda não iam aos cinemas quando o ‘filme amador’ voltou às telonas. Pode ser que este fator exista. Mas acho pouco para explicar o sucesso de Atividade Paranormal. O filme é uma porcaria das grandes, que não decide se entra para o time dos Found Footage (filmes que fingem ser reais) ou se encara o carimbo

Drama

Nine

Mais um filme musical bacana: Nine. É a cara de outro, Chicago, a cara do diretor Rob Marshall, responsável pelos dois. É um filme agradável, mas não do mesmo nível do antecessor. Para este texto, permito-me usar algumas passagens de coluna de Artur Xexéo sobre o filme em O Globo, coluna que conta como poucos a importância da obra. Nine nasceu como musical da Broadway, transpondo para a linguagem de teatro o filme Oito e Meio, de Federico Fellini. Aliás,

Drama

Orfeu Negro

Vencedor do Oscar e do Globo de Ouro de Melhor Filme em Língua Estrangeira (1960), além da Palma de Ouro em Cannes (1959). São prêmios que pouquíssimos filmes têm. Ainda mais de um brasileiro. Mas Orfeu Negro, que foi celebrado com todos estes, pode ser resumido por sua música-tema, Felicidade, de Tom Jobim: “tristeza não tem fim, felicidade, sim”. É um tristeza de produção, caricata, ruim. Um ponto resume o filme: passado no Brasil, em 90% do tempo os personagens

Documentário

Edifício Master

Essas tais coincidências da vida fizeram com que chegassem em casa dois filmes muito parecidos, ambos brasileiros, documentários e baseados somente na força de depoimentos. O já antigo Edifício Master (de 2002) e o mais novo Jogo de Cena (de 2006), mais do que isso, são sensacionais, o que só pode ser mérito de Eduardo Coutinho, diretor dos dois. Ok, as milhares de pessoas que acompanham este blog já viram que não sou fã de filmes brasileiros. Mas estes dois

Drama

Jogo de Cena

… Assim também é Jogo de Cena. Atendendo a um anúncio de jornal, 23 mulheres foram selecionadas e filmadas no Teatro Glauce Rocha, no Rio de Janeiro. O motivo: contar histórias de vida. Em setembro do mesmo ano, atrizes interpretaram, ao seu modo, as histórias contadas por algumas das personagens escolhidas. É a mesma “química”: as histórias são muito boas. E nada mais é preciso. Mas com dois adicionais, que martelam na cabeça do espectador: 1 – é extremamente difícil