As Melhores Coisas do Mundo

As Melhores Coisas do Mundo

Rating

4 out of 5
Duca

Total

4
4 out of 5

Qual a melhor idade da vida? Difícil responder? Não, fácil. Cada pessoa tem sua idade preferida. Para alguns, adolescência. Para outros, infância. Ou seria a juventude? Ou a terceira-idade? As Melhores Coisas do Mundo é sobre este período, este curto espaço na vida que nos marca, nos faz lembrar, nos faz ter saudade.

O filme trata da vida de adolescentes em seus 14 e 15 anos. Estão em um colégio da classe média (é o Dante Alighieri camuflado) e passam por todos os problemas adolescentes. Segue a vida de Mano, apelido de Ermano. Um acontecimento na família faz com que ele perceba, aos 15 anos, que virar adulto nem sempre é fácil.

Inspirado na série de livros Mano, escritos por Gilberto Dimenstein e Heloisa Prieto, parecia-me mais um filme adolescente, ou daqueles bobos felizes ou daqueles chatos cheios de problemas. Não é um nem outro. Ou melhor, é os dois: tem momentos felizes e problemas aos montes.

Atores famosos (Paulo Vilhena e Caio Blate) e os não-conhecidos, na maioria dos casos, vão bem. Não gostei do Fiuk, mas também não complica. Na primeira metade o filme não empolga. São aquelas histórias de popularidade na escola, primeira transa, relacionamento em casa, inseguranças… Mas quando o preconceito entra em cena, de maneira pesada, o filme vira. Em meio a desafios, os personagens percebem que passam pela melas melhores coisas do mundo, pela melhor fase da vida.

A produção brasileira é focada na classe média, mas serve para todas as classes. É daquelas que nos faz lembrar da infância, da adolescência…dos amigos, das dificuldades, do tempo que não volta mais. Ou volta? Enfim, As Melhores Coisas do Mundo deixa um bom sentimento.

As Melhores Coisas do Mundo

CLASSIFICAÇÃO: DUCA

Ficha técnica:

Gênero: Drama e romance
Duração: 90 min.
Origem: Brasil
Direção: Laís Bodanzky
Roteiro: Luiz Bolognesi
Elenco: Francisco Miguez, Paulo Vilhena, Gabriela Rocha, Caio Blat, Denise Fraga e Fiuk

Categorias: Drama, Romance

Sobre o Autor

Comentários

  1. Flavia Braz
    Flavia Braz 11 abril, 2011, 00:46

    Bodanzky acertou de novo. Bom,. Muito bom.

  2. Dani Sampaio
    Dani Sampaio 5 fevereiro, 2011, 18:00

    Amei esse filme. Este é para os que odeiam o cinema nacional por ser só favela e nordeste, mas não se dão ao trabalho de ver o que anda sendo produzido.

  3. Danilo Vicente
    Danilo Vicente Author 2 novembro, 2010, 03:12

    Flavia, escreva logo, hein… daqui a pouco vou ver…rs

  4. Flavia Resende
    Flavia Resende 1 novembro, 2010, 21:50

    Ah, uma coisa legal sobre o filme: Antes de gravar, a diretora visitou alguns colégios de ensino médio com a sua equipe, mostrando o roteiro para os adolescentes… dai que descobriram que o roteiro estava longe da realidade. Fizeram uma nova versão, com a ajuda da garotada, e daí saiu o filme que a gente assistiu! muito bom!

  5. Flavia Resende
    Flavia Resende 1 novembro, 2010, 21:45

    Ah, Danilo! Passou na minha frente de novo! Aluguei esse filme recentemente e gostei tanto que me animei para postar! Bom, vou ter q falar de Comer Rezar Amar mesmo no próximo post! Estou de férias agora, me dedicarei ao blog, prometo! haha

  6. Flavia Braz
    Flavia Braz 29 outubro, 2010, 19:34

    Está na minha lista… Ouvi ótimas críticas e gosto bastante da Bodanzky… tbm é dela Bicho de Sete Cabeças, que eu adoro….

  7. Isabela
    Isabela 28 outubro, 2010, 00:54

    Oi Danilo, ainda não vi o filme, mas gostei do texto! =)

    Vou seguir e acompanhar seu blog e as novidades do cinema!

    Bjs e mto obrigada pelo comentário no meu blog!

    Abraços,
    Isabela

  8. Angélica Vilela
    Angélica Vilela 27 outubro, 2010, 02:39

    Adoro filmes para adolescentes, mesmo que sejam porcarias (o que não é mesmo o caso deste filme). Primeiro, porque alguém está fazendo filmes para este público. Pelo menos agora fazem. Quando era adolescente, nunca soube de um filme para este público. Segundo, porque os filmes brasileiros, mesmo que tenham alguns pontos em comum (os universais como sexo e amor) com os filmes americanos do gênero, têm temas típicos do Brasil. E isso pra mim já basta para assistir e incentivar este tipo de produção. Mas o "Melhores Coisas da Vida" é muito bem conduzido, pois não deixa de lado temas polêmicos e atuais.

Escreva um Comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Campos obrigatórios*