Blue Valentine (Namorados para Sempre)

Blue Valentine (Namorados para Sempre)

Rating

5 out of 5
Pare tudo e vá ver!

Total

5
5 out of 5

Blue Valetine (Namorados para Sempre) é o anti-romance definitivo. Esqueçam os contos de fadas, os ‘viveram felizes para sempre’, os eternamente felizes. Esqueçam as promessas, os planos, os compromissos, os sonhos. Esse filme vai passar por cima de tudo isso e acabar com qualquer esperança de felicidade a dois. Por isso a sua contra capa deveria vir com um aviso: ‘proibido para casais recém formados e pessoas apaixonadas’. O filme de Derek Cianfrance mergulha sem nenhum pudor no relacionamento em crise de Dean (Ryan Gosling) e Cindy (Michelle Williams). E para isso assume um quê de documental. O que se explica visto que este é o primeiro longa de ficção de um diretor experiente na arte do documentário. O compromisso com a realidade é levado tão a sério que antes do início das filmagens os dois atores moraram juntos por um mês a fim de ganhar intimidade e parecerem um casal de verdade. Tudo para levar à risca a ideia de realismo exacerbado que o roteiro toma para si. Muitas vezes o olhar sobre o dois e sobre cada um individualmente é tão próximo que assumimos a solidão, a opressão e o desespero a dois vivido. O diretor guia o espectador por dois momentos da vida do casal. O primeiro é o início do relacionamento, quando se apaixonam, se encantam, quando fazem juras e promessas, quando os sonhos e as possibilidades parecem lhes reservar todo o mundo pela frente. O segundo é cinco anos após o casamento, quando o casal desintegrado tenta superar a crise que se instaura. O formato escolhido para contar a história é o bom e velho flashback. Nada de novo, não fosse a extrema sensibilidade com que o diretor tortura o espectador. No auge de uma agressão qualquer, velada ou escrachada, e aparentemente sem nenhuma explicação, o diretor volta no tempo e faz um contraponto com o início do namoro. A oscilação entre os momentos doces, delicados e cheios de esperança do início da relação e os momentos de cólera, agressividade e desespero do presente trazem a dor dos dois para o meio da sua sala de estar. Sem busca por razões, por explicações, por culpados, resta ao espectador assistir, já sem defesa e sem argumentação. É um filme de roteiro magnífico e cruel. De atuações tão corretas que chegam a comover. Um filme de silêncios, de expressões, de coisas não ditas. Michelle Williams é uma das grandes atrizes da sua geração. É tocante a sua simples presença em cena, muitas vezes sem dizer uma só palavra, tomada por todos os sentimentos daquela mulher aprisionada. E Ryan Gosling também está muito bem no papel do marido desesperado, quando o charme inicial de sua personalidade brincalhona se torna um fardo pesado demais para a companheira e suas tentativas de fazer dar certo acumulam uma gigante frustração. Em Blue Valentine as coisas são como são. Não há culpados, não há término, não há recomeço, não há redenção, mas principalmente não há felizes para sempre. Não há presente, não há futuro… Há apenas duas pessoas se digladiando para continuar vivendo, juntas ou separadas.PS: O título em português é ridículo e nada tem a ver com o filme. E a campanha de marketing aqui no Brasil é um capítulo à parte. Lançaram para o Dia dos Namorados. Só posso imaginar que alguém na Paris Filmes tomou um pé na bunda e quis pregar um peça nos casais desavisados. O cartaz americano também é bem mais bonito.Blue Valentine / Namorados para Sempre
CLASSIFICAÇÃO: PARE TUDO E VÁ VER!
Ficha Técnica:

Diretor: Derek Cianfrance
Elenco: Ryan Gosling, Michelle Williams, Mike Vogel, John Doman, Samii Ryan, Faith Wladyka.
Produção: Lynette Howell, Alex Orlovsky, Jamie Patricof
Roteiro: Cami Delavigne, Joey Curtis, Derek Cianfrance
Fotografia: Andrij Parekh
Duração: 114 min.
Ano: 2010
País: EUA
Gênero: Drama
Cor: Colorido
Distribuidora: Paris Filmes
Estúdio: Hunting Lane Films / Silverwood Films
Classificação: 14 anos
Categorias: Drama

Sobre o Autor

Comentários

  1. Lana
    Lana 28 junho, 2012, 16:29

    Achei bom, diferente. Que atuação excelente do ator John Doman. Quero assistir, também, a nova série, Borgia, em que ele é o ator principal e que irá mostrar o quão longe pode chegar a ambição e a crueldade de Rodrigo Borgia em seu caminho para o poder no Vaticano. Adorei o contexto, os atores, tudo dessa série.

  2. Danilo Vicente
    Danilo Vicente 2 outubro, 2011, 17:40

    Agora assisti. Gostei bastante. Só tem um ponto que não concordo: passei a odiar a pesonagem dela. Para mim, ele é o "bom" da história.

    Aliás, Ryan Gosling manda muuuuiiitttto bem no filme. Michelle ele também deveria ter recebido a indicação (foi "só" ao Globo de Ouro). Aliás, que efeito ótimo dele mais velho!

    Trata-se de um filme propositalmente sem ação, o que no começo me cansou um pouco. Mas é uma bela ideia, muito bem realizada. Muito bom.

  3. Dani Sampaio
    Dani Sampaio 11 julho, 2011, 20:34

    É tipo Closer? Adoro anti-romances!! Já para a lista dos "para ver"…

  4. Anônimo
    Anônimo 8 julho, 2011, 14:58

    So assisto quando nao estiver de tpm!

    Marina

  5. Danilo Vicente
    Danilo Vicente 5 julho, 2011, 18:36

    Bom, quer dizer que você só paga a cerveja se eu cortar os pulsos?

    Fechado. Te levo uma bela barra de chocolate e um pote de sorvete.

  6. Diana Medeiros
    Diana Medeiros 5 julho, 2011, 18:11

    Danilo, eu te desafio: se assistir o filme sem ficar triste, chateado ou incomodado pago a sua conta do bar. Rs.

  7. Anônimo
    Anônimo 5 julho, 2011, 18:00

    Mas vc faz com que eu me Digladie internamente de curiosidade e necessidade de ver o filme e agora vai Digladiar meus sentimentos me deixando sem a historia??????????

    Digladiei ….

  8. Diana Medeiros
    Diana Medeiros 5 julho, 2011, 17:48

    É digladiando sim rapá! Você acompanhou a busca. A Folha e o Aurélio respaldaram! Vou pensar se gravo pra você. Tá folgaaaaaaaada. Rs.

  9. Anônimo
    Anônimo 5 julho, 2011, 17:41

    Digladiando??

    Eu quero!

    PS: Isso te faz lembrar de gravar?

    ASS JUU

  10. Renata Rogatto
    Renata Rogatto 5 julho, 2011, 15:08

    Não sei, fiquei tensa…

  11. Danilo Vicente
    Danilo Vicente 5 julho, 2011, 02:42

    Meu Deus, alguém dá um chocolate da Diana. Precisa adoçar essa vida.

    Obs: quero ver o filme.

Escreva um Comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Campos obrigatórios*