Aproximação

Aproximação

Rating

1 out of 5
Nem a pau, Juvenal!

Total

1
1 out of 5

De agora em diante está decidido. Juliette Binoche é chata. Desculpem os fãs da estrela francesa, mas eu tentei. Assisti a Cachê, e adorei. Também vi Anti-Heróis, no qual participa pouco. É bom. Alice e Martin, fraco! Cópia Fiel, horroroso. E, agora, Aproximação. Muito ruim.

Ok, não vi Morro dos Ventos Uivantes, A Insustentável Leveza do Ser, a trilogia azul, vermelha e branca, nem Chocolate e O Paciente Inglês. Posso, assim, ter perdido os melhores dela. Mas todos estes são até 2000. Na fase “depois de 2000” já tentei quatro (Alice e Martin é de 2000). E que horror (tirando Cachê)!

A mulher é linda, e claro que tem talento. Mas tudo o que sabe em interpretação é o inverso em escolha de filmes! E aí fica muito chata!

Neste Aproximação a primeira meia hora é perdida. A cena inicial é de um judeu com uma palestina em um trem. Do nada eles se beijam. Ok, parece que aí vem filme político… longe disso!

Os 25 minutos seguintes são confusos, com um funeral de um idoso. A filha dele, interpretada por Binoche, tem um parafuso a menos e chega a seduzir o irmão adotivo.

Em seguida vem o que descreve a sinopse: Ana (Binoche) atende à vontade do falecido pai: vai a Israel acertar contas com um passado que ela escondia, no mesmo momento em que acontece a retirada de israelenses da faixa de Gaza.

Aliás, é preciso dizer: o único ponto positivo do filme é a retirada das pessoas. Pelo menos o espectador aprende como é uma polícia e um exército contra sua nação. Contra por ordem maior, mas sem querer atacar. Ambos têm de retirar compatriotas de Gaza.

Do resto, em toda a duração, ruim pra mais de metro! E a cena inicial do beijo? Simbólica? Provocativa? O diretor irraelense Amos Gitai diz algo a quem assiste? Nada disso. Simplesmente um desperdício de tempo.

No meio do filme cheguei a entrar na internet para verificar se não havia confundido a atriz. Não… é Binoche mesmo quem fez, especialmente, Cópia Fiel. Ah, aí está outro ponto positivo de Aproximação: é apenas um centímetro melhor que Cópia Fiel, devido às cenas em Gaza. Mas isso é elogio? Não!

Aproximação / Disengagement

CLASSIFICAÇÃO: NEM A PAU, JUVENAL!

Ficha técnica:

Duração: 115 min.
Gênero: Drama
Direção: Amos Gitai
Ano: 2007
Elenco: Juliette Binoche, Liron Levo e Jeanne Moreau

Categorias: Drama

Sobre o Autor

Comentários

  1. Marcelo
    Marcelo 7 janeiro, 2012, 03:28

    Só vi Paciente Inglês, ela é a melhor coisa do filme (seguido pela Kristin Scott Thomas e pelo Willem Dafoe)

Escreva um Comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Campos obrigatórios*