O Enigma de Outro Mundo

O Enigma de Outro Mundo

Rating

3.5 out of 5
Vale o ingresso

Total

3.5
3.5 out of 5

John Carpenter é o “pai” de algumas pérolas do cinema de terror com um pé no trash. Halloween é dele, assim como Christine – O Carro Assassino. Em 1982 fez um clássico, O Enigma de Outro Mundo, que caminha na mesma estrada. Mas realmente é um clássico.

Assisti ao filme logo depois de ver A Coisa, o prólogo lançado em 2011. Ambos são bacanas. O Enigma se passa dias depois de A Coisa. Antártica, inverno de 1982. Na remota Estação 4 do Instituto Nacional de Ciências dos Estados Unidos estão 12 homens (em seu Clube do Bolinha) que observam com espanto um norueguês tentar de todas as maneiras matar um cão. O cara invade a estação e atira até em um dos americanos, mas é morto. O helicóptero, que trouxe o intruso, explode, matando o outro tripulante. E a razão da raiva norueguesa fica sem explicação. Por pouco tempo.

O cachorro fica na base e os americanos começam a questionar o que realmente aconteceu. O piloto de helicóptero J. R. MacReady se oferece para viajar até a base norueguesa em busca de explicação. Logo descobre que o local foi destruído e resgata um corpo que parece com um humano. Os americanos concluem que estão diante de um alienígena que pode se transformar em uma cópia exata das suas vítimas. E que ele está vivo.

Como em A Coisa, os cientistas descobrem tudo muito facilmente, o que desanima o espectador. Mas quem está na chuva é para se molhar – e ao ver a sinopse já se espera algo trash. Kurt Russel é o protagonista. Está novinho, com o mullet característico dos anos 1980.

O Enigma é uma refilmagem de O Monstro do Ártico, de 1951, baseado no conto “Who Goes There?”, de John W. Campbell Junior. A diferença é que no filme de 1951 o terror é no Polo Norte, enquanto que em O Enigma a história acontece no Polo Sul. A Coisa e O Enigma entretêm separadamente, mas vale mais assistir aos dois na sequência. A comparação de efeitos visuais é injusta, mas fica claro como O Enigma era para frentex em sua época.

Aliás, logo que aceitou o filme, Carpenter foi “acusado” de se vender a Holywood, pois foi seu primeiro projeto em um grande estúdio, a Universal. Hoje vê-se que acertou na decisão. É o primeiro filme da chamada “trilogia do apocalipse”, nome dado pelo próprio diretor. Os demais são Príncipe das Sombras (1987) e À Beira da Loucura (1995).

Ennio Morricone, de tantos clássicos (como Os Intocáveis, Três Homens em Conflito, A Missão e, claro, Cinema Paradiso), compôs a trilha sonora. E o roteiro é de Bill Lancaster, filho do famoso Burt Lancaster.

O Enigma de Outro Mundo – The Thing


CLASSIFICAÇÃO: VALE O INGRESSO


Ficha técnica:

Duração: 108 min.

Ano: 1982

Direção: John Carpenter

Elenco: Kurt Russell, Wilford Brimley, David Clennon, Keith David, Richard Masur e Richard Dysart

Gênero: Terror

Roteiro: Bill Lancaster
Trilha sonora: Ennio Morricone

Categorias: Terror

Sobre o Autor

Comentários

  1. Marcelo
    Marcelo 4 abril, 2013, 20:30

    Deve ser o que mais gosto do Carpenter. Basicamente é um western (incluindo o final) com roupagem de ficção científica

Escreva um Comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Campos obrigatórios*