Hiroshima

Hiroshima

Rating

4 out of 5
Duca

Total

4
4 out of 5

É sempre relevante assistir a um documentário que traga novidade sobre algum fato. Fica mais chato quando o filme relata algo de conhecimento geral, sem que venha à tona algo inusitado. Hiroshima não tem essa característica, e por isso pode não ser o melhor documentário já lançado. Mas ao mesmo tempo é importante que obras como essa sejam lançadas de tempos em tempos, mantendo vivas na lembrança da sociedade atrocidades cometidas pela humanidade.

De 2005, quando se completaram 60 anos da explosão da primeira bomba atômica do mundo, Hiroshima lembra passo a passo o ocorrido nos momentos finais da Segunda Guerra Mundial. Em 5 de agosto de 1945 a cidade japonesa foi dizimada por um ataque dos Estados Unidos (conforme foto abaixo, da região central e do prédio que hoje é monumento contra a atrocidade). Morreram ali centenas de milhares de japoneses, sul-coreanos e chineses, estes últimos mantidos como escravos pelos militares do Japão.

Todo o passo a passo é dado, focando inclusive na política norte-americana de seus aliados. Mas o que mais choca são os relatos dos sobreviventes. A chuva negra que tomou conta da cidade e contaminou quem perambulava. As pessoas sem rosto, com o corpo todo preto e um inchaço no lugar de onde estariam os olhos. A “sorte” de Kokura, cidade que seria atacada no lugar de Nagasaki, que recebeu a segunda bomba atômica 4 dias depois, mas que por causa do tempo fechado foi trocada.

Produção da BBC, a obra foi ao ar no Discovery Channel e no BBC America (agora está na Netflix). Talvez por isso dê bastante espaço para a defesa do ataque americano, com depoimentos de militares que dizem terem sido poupadas, com o fim da guerra, mais vidas do que as vítimas no Japão. Mas só se expõe essa visão, sem defende-la.

Hiroshima 


CLASSIFICAÇÃO: DUCA 


Ficha técnica: 
Gênero: Documentário
Ano: 2005
Produção: BBC
Direção: Paul Wilmshurst
Roteiro: Paul Wilmshurst
Duração: 89 min.

Categorias: Documentário
Tags: Hiroshima

Sobre o Autor

Escreva um Comentário

Seu endereço de e-mail não será divulgado.
Campos obrigatórios*